terça-feira, 17 de maio de 2016

17/05

Jogando vou blefando, mas me perco
E sei do quanto pude e não vieste
A vida se moldara mais agreste
E o tempo sempre fecha mais o cerco,

O quanto se quisera e nunca veio
O mundo noutro passo se redime,
A velha sensação do ser sublime
Expressa muito além do devaneio,

Acossa-me esperança, mas inútil
O verso se fizera sem proveito
E quando no final a dor aceito
Eu sei do descaminho atroz e fútil,

Ousando acreditar em cada engano
O tempo se mostrara mais profano.

Nenhum comentário:

Postar um comentário