quarta-feira, 29 de junho de 2016

29/06

Jamais acreditei no que falavas
E sei das nossas noites mais vazias
Enquanto noutro enredo tu trarias
Além das velhas cevas, outras travas,

As sortes entrepostas ditam clavas
E delas vejo apenas agonias
As sortes entre tantas heresias
As sendas são deveras rudes lavas.

O preço a se pagar não me permite
Viver o quanto queira ou acredite
Num tempo aonde um dia fui feliz.

Meu verso se perdendo sem sentido
O rumo noutro engodo presumido
Desfaz o que deveras tanto quis.

Nenhum comentário:

Postar um comentário