domingo, 25 de setembro de 2016

25/09

Mal posso apresentar nova atitude
E sei do quanto a vida não preserva
Uma esperança dura e sendo serva
Do tanto que deveras tudo mude,

Meu verso no passado tanto ilude
E a vida tendo o sonho por reserva
Apenas o caminho que conserva
Traduz a morta e louca juventude.

O preço a se pagar não mais consigo
Vivendo a solidão em desabrigo
Amortalhado passo não traria

Sequer o quanto quis e tivera
A sórdida expressão matando a espera
De novo e abençoado, claro dia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário