sexta-feira, 18 de agosto de 2017

18/08/17


O quanto ela se mostra qual raiz
De um tempo aonde tudo se inovasse
Marcando com ternura a mesma face
Que na verdade enfim nada desdiz,
O canto mais audaz, mesmo infeliz
Num sonho sem igual não sonegasse
O templo anunciado se mostrasse
Ousando acreditar no que mais quis,
Espero tão somente a minha luz
E sei do quanto pude e me conduz
O tanto quando gera a luz em paz
Vencido pelo tédio de um passado
Trazendo uma esperança por legado,
Porém o quanto eu sonho se desfaz.

quinta-feira, 17 de agosto de 2017

Olhando com firmeza a direção,
Encontro os meus anseios e permito
O tempo que se mostre mais bonito
E nisto se resume a sensação
Dos dias que deveras poderão
Trazer bem mais que apenas velho rito,
O amor jamais se fez qual fosse mito
Cultiva da esperança cada grão,
E sei quando se vendo na colheita
O que esta alegoria não rejeita
E explode num anseio sem igual,
O tempo rude em vida solitária
Na dor que se mostrou celibatária,
No amor se torna leve e sensual.

quarta-feira, 16 de agosto de 2017

Seguindo par a par a mesma estrada
Que possa transformar o dia a dia
Ainda quando a sorte não mais via
Gerando a solidão, etéreo nada,
Vencido pela dor, sem alvorada
Tampouco restaria uma alegria
A quem se mergulhando em fantasia
Transforma esta emoção e não se evada,
Assim garanto além do que esperava
A vida traduzindo fogo e lava
Explode num anseio mais sutil,
Pousando mansamente em teu encanto
O amor que na verdade hoje garanto
Transcende ao quanto o sonho outrora viu.

terça-feira, 15 de agosto de 2017

Não quero mais caminhos tão diversos
Do que me levaria a cada passo
Tramando nos teus sonhos todo laço
Trazendo para nós imensos versos
Os dias muitas vezes controversos
E o tempo se mostrara mais escasso,
No quanto mais te quero ora te enlaço
Deixando para trás rumos perversos.
E quando se apresenta esta versão
Do tempo em mais diversa dimensão
Eu quero simplesmente ter em ti
O amor que tantas vezes imagino
E mesmo se mostrando um desatino,
Transcende ao que em verdade mereci.

segunda-feira, 14 de agosto de 2017

Além deste desejo tão constante
A vida não traria mais a dor
Cerzindo este cenário em esplendor
O novo caminhar já se garante,
E bebo desta fonte estimulante
Ousando acreditar que o raro amor
Trazendo para nós tanto louvor
Espelha esta vontade fascinante.
Vestindo todo o azul de um raro céu
Tramando na esperança um rico véu
E sendo de tal forma mais feliz,
Regendo cada passo, com certeza
A vida não traduz qualquer vileza
E faço desta sorte o quanto eu quis.

domingo, 13 de agosto de 2017

Não canso de querer e sempre espero
A sorte que prometes com sorrisos
Sabendo dos momentos mais precisos
Tramando este caminho mais sincero,
Apenas o que tento e mesmo quero
Reduz do meu viver tais prejuízos
Meus versos são deveras mais concisos
E nisto mato o tempo rude e austero,
Encontro solução em cada passo
Vivendo com certeza amor que traço
Num átimo mergulho sem temores,
Seguindo esta vontade que não cessa
Do amor que é muito além de uma promessa
Viceja a bela estrada aonde fores.

sábado, 12 de agosto de 2017

Vivendo amor intenso, na verdade
O tanto que se possa ou muito mais
Ainda quando venham temporais
Ou mesmo se renega a claridade,
Amor que mansamente agora invade
Fazendo do meu peito o porto, o cais
E nisto eu sei que nunca mais te esvais
Trazendo na prisão, a liberdade.
Vestígios de momentos que passei
E outrora imaginara turva lei,
Não restam na lembrança deste amor,
Vieste como fosses a esperança
Que agora com ternura já me alcança,
Dos sonho, o mais claro, o redentor.